ACESSIBILIDADE
Acessibilidade: Aumentar Fonte
Acessibilidade: Tamanho Padrão de Fonte
Acessibilidade: Diminuir Fonte
Youtube
Facebook
Instagram
Twitter

Uma visita ao Real Gabinete Português de Leitura
SÉRIE
Patrimônio Material do Rio
04 Novembro 2014 | Por Larissa Altoé
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp

fachada RGPL4Quem anda no centro do Rio de Janeiro, pelos arredores da Praça Tiradentes, certamente vai se deparar com uma edificação diferente – o Real Gabinete Português de Leitura. Se a pressa permitir e a curiosidade vencer, o pedestre se surpreenderá: um local belíssimo, luz natural entrando pela claraboia no teto e a maior coleção de livros e periódicos portugueses do Brasil. Tudo gratuito e à disposição do público.

Desde julho deste ano, a instituição começou a oferecer visitas guiadas, que devem ser agendadas por telefone. Se o grupo for formado por professores e alunos, ganha o DVD do vídeo institucional ao final do tour. O filme tem um formato atraente para o público infanto-juvenil: trata-se de uma ficção, intitulada A Pedra Fundamental, protagonizada pela atriz-mirim Mel Maia. A direção é de Thiago Valente, vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2013, na categoria curta-metragem ficção.

DVD A Pedra Fundamental editada2Gilda Santos, vice-diretora da instituição, explica: “Numa visita guiada a alunos, acompanhados de seus professores, são destacados e comentados detalhes da fachada, do hall de entrada e do salão de leitura. Todos recebem, também, o folheto ilustrado O Que É Que a Biblioteca Tem?, em que está contada, de modo sintético, a história do livro e é apresentada a diferença entre livro, periódico e manuscrito – os principais materiais que o acervo da biblioteca abriga. Se são pesquisadores ou professores, sem suas turmas, que visitam o Gabinete, o acesso a outros salões é permitido.”

A instituição é a guardiã de obras raras, como a primeira edição de Os Lusíadas, de 1572; manuscritos de Machado de Assis; e o Dicionário da Língua Tupy, de Gonçalves Dias. Além disso, o acervo está em permanente atualização, pois a biblioteca recebe um exemplar de todas as obras impressas por editoras em Portugal desde que, em 1935, o governo lusitano concedeu ao Real Gabinete o benefício de “depósito legal”.

Periódicos antigos digitalizados

Angelo Agostini barca FerryGraças ao projeto O Real em Revista, diversos periódicos do século XIX, tanto portugueses como brasileiros, estão sendo digitalizados e disponibilizados na internet. A intenção é facilitar o acesso para interessados em pesquisar os costumes dos anos 1800 no Brasil e em Portugal, e contribuir para a compreensão de nossa cultura comum. O projeto, que conta com o patrocínio da Petrobras, foi escolhido entre 260 concorrentes na categoria Apoio a Museus, Arquivos e Bibliotecas, sendo o único contemplado do estado do Rio de Janeiro.

Revista on-line

Para os especialistas em Língua Portuguesa, mais uma atração no site do RGPL: a revista semestral Convergência Lusíada, um espaço de reflexão sobre literaturas que busca contribuir para a circulação de ideias entre os diversos países falantes do português.

Outra informação interessante é que o Polo de Pesquisa sobre Questões Luso-Brasileiras, editora da revista, concede bolsas de estudo a jovens pesquisadores.

Um pouco mais de história

Mas, como surgiu esse prédio em estilo neomanuelino que propaga a cultura portuguesa no Brasil? A história contada no site da instituição é que, em 1837, um grupo de 43 imigrantes portugueses, em sua maioria comerciantes, resolveu criar uma biblioteca para “ampliar os conhecimentos de seus sócios e dar oportunidade aos demais patrícios de ilustrar o espírito”; já o título de Real foi acrescentado em 1906 pelo Rei D. Carlos.

Revista IllustradaÉ curioso saber que o escritor Machado de Assis presidiu algumas sessões da Academia Brasileira de Letras no local, antes que a ABL tivesse sede própria. Em 1900, um fato marcaria sua vocação até os dias atuais: tornou-se biblioteca pública, dando a todo cidadão acesso aos seus mais de 350 mil títulos.

RGPL
Rua Luís de Camões, 30, Centro.
Funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h.
Tel:2221-3138
realgabinete.com.br
orealemrevista.com.br



 

 
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp
MAIS DA SÉRIE
texto
Conheça a história dos personagens que viraram patrimônio da cidade

Conheça a história dos personagens que viraram patrimônio da cidade

29/03/2016

Na cidade do Rio, 1.265 monumentos homenageiam cantores, políticos, escritores e poetas. 

Patrimônio Material do Rio

texto
Os tuítes azuis do patrimônio

Os tuítes azuis do patrimônio

09/07/2015

Em entrevista ao Portal, Washington Fajardo, presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), fala sobre as novas sinalizações que formam os dez Circuitos do Patrimônio Cultural Carioca.

Patrimônio Material do Rio

texto
Patrimônio que você nem imagina

Patrimônio que você nem imagina

08/06/2015

Não só os prédios fazem parte dos bens tombados na cidade. Elementos inusitados, como o calçamento e a pintura mural do Profeta Gentileza, se incluem na preservação cultural.

Patrimônio Material do Rio

texto
Alerta vermelho para reservatórios tombados

Alerta vermelho para reservatórios tombados

12/05/2015

Dezenas de reservatórios são tombados. Marcos da engenharia desenvolvida no Rio, alguns deles se encontram subaproveitados, embora mereçam ser reinseridos no acervo afetivo da cidade.

Patrimônio Material do Rio

texto
Árvores integram patrimônio do Rio

Árvores integram patrimônio do Rio

13/04/2015

Elas estão por toda parte, muitas há gerações, e podem ser escolhidas para tombamento tanto por seu valor botânico quanto pela relevância como marco paisagístico de uma época.

Patrimônio Material do Rio

texto
O rico patrimônio cultural do centro do Rio

O rico patrimônio cultural do centro do Rio

13/01/2015

A partir de 1984, com a implantação do Corredor Cultural, se estruturou uma política municipal completa de proteção aos ambientes antigos. Até então, o tombamento se dava apenas para monumentos isolados, mas nunca sobre áreas compostas por diversos prédios, seu entorno e, sobretudo, que levasse em conta a afetividade ligada à memória local.

Patrimônio Material do Rio

texto
Corredor Cultural preserva memória do Rio

Corredor Cultural preserva memória do Rio

06/01/2015

Nos anos 1980, o Corredor Cultural inaugurava as políticas públicas voltadas à preservação do ambiente construído. Além de proteger o centro histórico, também originou o modelo da Apac – Área de Proteção do Ambiente Cultural. 

Patrimônio Material do Rio