ACESSIBILIDADE
Acessibilidade: Aumentar Fonte
Acessibilidade: Tamanho Padrão de Fonte
Acessibilidade: Diminuir Fonte
Youtube
Facebook
Instagram
Twitter

Daniela Thomas
SÉRIE
Mãos à Ópera

Como pensar o cenário de uma ópera, os materiais, o tamanho. O Theatro Municipal como um dos poucos no Brasil capazes de receber grandes espetáculos operísticos. Convidada: Daniela Thomas, cenógrafa, responsável pela concepção dos cenários da ópera O Menino Maluquinho.

 
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp
MAIS DA SÉRIE
audio
João Guilherme Ripper

João Guilherme Ripper

09/11/2016

Os desafios para a produção de óperas no Brasil. A carreira do entrevistado como regente e compositor de ópera. Convidado: João Guilherme Ripper, maestro e presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Mãos à Ópera

audio
André Cardoso

André Cardoso

09/11/2016

A história da ópera no Brasil. O trabalho do maestro e do diretor artístico na montagem e na apresentação de uma ópera. Convidado: André Cardoso, maestro e diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Mãos à Ópera

audio
Maria José Chevitarese

Maria José Chevitarese

09/11/2016

Como é feita a seleção para os coralistas. A atuação da regente e a importância do coro em uma ópera. Convidada: Maria José Chevitarese, professora da Escola de Música da UFRJ e responsável pelo coro infantil da instituição.

Mãos à Ópera

audio
Laís Rodrigues

Laís Rodrigues

09/11/2016

A experiência de se filmar óperas em grandes teatros como o Municipal do Rio de Janeiro. O passo a passo que culmina na filmagem do espetáculo. Convidada: Laís Rodrigues, documentarista e diretora de cinema.

Mãos à Ópera

audio
Divina Soarez

Divina Soarez

09/11/2016

Os segredos da arte de produzir perucas para espetáculos. Convidada: Divina Soarez, responsável pelo setor de perucaria do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Mãos à Ópera

audio
Ricardo Prado

Ricardo Prado

09/11/2016

A história do gênero e dos compositores mais famosos do mundo; no Brasil, destaque para Heitor Villa-Lobos. Convidado: Ricardo Prado, maestro.

Mãos à Ópera

audio
André Heller-Lopes

André Heller-Lopes

09/11/2016

A história e as transformações do gênero no Brasil e no mundo. Ao longo da entrevista, ouvimos trechos de Norma, composta por Vicenzo Bellini; O Barbeiro de Sevilha, de Giochiano Rossini; e Aída, de Giuseppe Verdi. Convidado: André Heller-Lopes, diretor de óperas e um dos maiores especialistas do tema no Brasil.

Mãos à Ópera

video
Diversão e arte por toda parte

Diversão e arte por toda parte

15/06/2016

Ópera como obra dinâmica com histórias que, mesmo criadas há mais de 200 anos, tratam de temas e sentimentos sempre atuais; capacidade do gênero de provocar, transformar e impactar o público; interesse das gerações mais jovens. Depoimentos: João Guilherme Ripper, maestro, compositor de óperas e presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro; André Cardoso, diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Steffen Dauelsberg, diretor-executivo da Dell’Arte; Roberto Duarte, maestro; Daniela Thomas, cenógrafa; Manoel Pouci, coordenador de palco voltado para a cenografia; Dino Velasquez, chefe da iluminação de palco; Marcelo Vieira, professor de Teoria Musical do coral Canarinhos de Petrópolis; Inácio de Nonno, cantor barítono; Caterina Scaini, coro infantil; Laís Rodrigues, documentarista; Flávia Fernandes, cantora soprano; André Heller-Lopes, diretor de óperas; Doriana Mendes, professora de canto da Unirio; Maria José Chevitarese, diretora e regente do Coro Infantil da UFRJ; Carolina Morel, coro infantil; Pedro Urano, fotógrafo; Luna Himmer, coro infantil; Cintia Graton, cantora mezzo-soprano; Ricardo Prado, maestro e consultor da série Mãos à Ópera; Jorge Carvalho, iluminador; Carol McDavit, professora de Ópera da Unirio.

Mãos à Ópera

video
Segredos revelados... O que rola nos bastidores

Segredos revelados... O que rola nos bastidores

08/06/2016

Como funcionam as equipes nos bastidores; o trabalho de iluminadores, contrarregras, operadores de áudio, músicos, assistentes de figurino e maquiagem, etc.; influência das novas mídias e tecnologias na forma de montar e de assistir a óperas; espetáculos montados para serem filmados e exibidos no cinema e espaços ao ar livre; impactos na montagem e na forma de encenar; um novo espetáculo que mistura cinema e teatro. Depoimentos: Ricardo Prado, maestro e consultor da série Mãos à Ópera; Steffen Dauelsberg, diretor-executivo da Dell’Arte; Nilton Farias e Gabriel Pigozzo, coordenadores de palco; Melício dos Santos, contrarregra; Mona Magalhães, visagista; Dino Velasquez, chefe da iluminação de palco; André Heller-Lopes, diretor de óperas; Manoel Pouci, coordenador de palco voltado para a cenografia; Laís Rodrigues, documentarista; Pedro Urano, fotógrafo; João Guilherme Ripper, maestro, compositor de óperas e presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Flávia Fernandes, cantora soprano.

Mãos à Ópera

video
Tudo junto, mas não misturado

Tudo junto, mas não misturado

01/06/2016

Elenco e elementos como cenários e figurinos nas mãos do diretor, que vai harmonizar toda a estrutura e fazê-la funcionar; a parceria diretor e maestro; trabalho dos artistas que cantam e interpretam personagens; o coro. Depoimentos: Daniela Thomas, cenógrafa e diretora; Roberto Duarte, maestro; Sura Berditchevsky, diretora de cena; Inácio de Nonno, cantor barítono; André Heller-Lopes, diretor de óperas; Camila Schmidt, cenógrafa; Manoel Pouci, coordenador de palco voltado para a cenografia; Carol McDavit, professora de ópera da Unirio; Flavio Melo, cantor barítono; Maria José Chevitarese, diretora e regente do Coro Infantil da UFRJ; Cintia Graton, cantora mezzo-soprano; Caterina Scaini, Carolina de Melo, Isabeli Lopes e Luna Himmer, coro infantil; Gabriel Pigozzo, coordenador de palco.

Mãos à Ópera

video
Esquadrão da ópera

Esquadrão da ópera

25/05/2016

Montagem da equipe responsável pela construção da história: o trabalho de cenógrafos, figurinistas, maquiadores, artistas, cantores, diretor de cena e outros profissionais; etapas de produção para se obter um produto final de qualidade. Depoimentos: Eduardo Cabanas, produtor executivo da Dell’Arte; Sura Berditchevsky, diretora de cena da ópera Menino Maluquinho; Ricardo Prado, maestro e consultor da série Mãos à Ópera; Jorge Carvalho, iluminador; Marcos Flaksman, cenógrafo; Daniela Thomas, cenógrafa e diretora; Camila Schmidt, cenógrafa; André Heller-Lopes, diretor de óperas; Lily Driaze, cantora mezzo-soprano; Mona Magalhães, visagista; Divina Suarez, figurinista e peruqueira; Pedro André Mendes, cantor mirim; Flávia Fernandes, cantora soprano; Inácio de Nonno, cantor barítono; Flavio Melo, cantor barítono; Cintia Graton, cantora mezzo-soprano.

Mãos à Ópera

pdf
Mãos à Ópera: <em>Ópera na tela - material educativo</em>

Mãos à Ópera: Ópera na tela - material educativo

19/05/2016

Ópera? Por que ópera? Esta publicação tem por objetivo auxiliar os professores a trabalharem de forma transdisciplinar em sala de aula os materiais e temas abordados na série televisiva Mãos à Ópera, uma parceria da MultiRio com o Festival Ópera na Tela.

Mãos à Ópera

video
Quem cria e quem cuida

Quem cria e quem cuida

19/05/2016

Como é pensada cada etapa da produção de uma ópera; o papel do diretor-geral ou diretor artístico e seu trabalho em parceria com o maestro, que faz o papel de diretor musical; a criação do libreto. Depoimentos: João Guilherme Ripper, maestro, compositor de óperas e presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Steffen Dauelsberg, diretor-executivo da Dell’Arte; Eduardo Cabanas, produtor executivo da Dell’Arte; André Heller-Lopes, diretor de óperas; André Cardoso, maestro e diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Roberto Duarte, maestro; Ricardo Prado, maestro e consultor da série Mãos à Ópera; Sura Berditchevsky, diretora de cena da ópera Menino Maluquinho.

Mãos à Ópera

video
O que é ópera

O que é ópera

11/05/2016

Como surgiu; transformações ao longo do tempo; principais compositores e cantores líricos; subgêneros; diferentes estilos de representação; ópera moderna e sua crescente popularização; aproximação com o público jovem. Depoimentos: Ricardo Prado, maestro e consultor da série Mãos à Ópera; André Heller-Lopes, diretor de óperas; André Cardoso, maestro e diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Inácio de Nonno, cantor barítono; Flávia Fernandes, cantora soprano; Daniela Thomas, cenógrafa e diretora; João Guilherme Ripper, maestro, compositor de óperas e presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro; Tiê Kuhl e Pedro André Mendes, cantores mirins.

Mãos à Ópera