03 Junho 2020
0
0
0
s2sdefault
 

Contemplado nos eixos temáticos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o meio ambiente é um assunto que permite abordagem ampla e diversificada por parte dos professores, como, por exemplo, questões relacionadas à biodiversidade, a mudanças climáticas e a consumo sustentável.

Muitos desses conteúdos podem ser explorados, também, em casa, com a ajuda e o apoio da família. Veja algumas atividades, projetos e experimentos propostos por professores da Rede Municipal Pública de Ensino do Rio de Janeiro, para alunos de diferentes anos de escolaridade.

1) Como fazer um terrário

A professora Juliana Xagas, da Gerência de Educação da 6ª CRE, ensina os alunos a fazer um terrário, com a ajuda da família. A atividade foi proposta de maneira em um vídeo compartilhado no grupo Rioeduca 6ª CRE, no Facebook. A ideia é que, além de ter contato com as plantas, a criança possa acompanhar, observar e entender melhor o ciclo da água na natureza.

Para construir o terrário, são necessários materiais como: vidro de maionese ou garrafa de desinfetante, pedras de qualquer tipo, carvão picado, terra, saco plástico e diferentes plantas com raiz.

Apesar de a atividade ser voltada para crianças de todas as idades, a docente faz, ao final, propostas focadas na alfabetização, como a produção textual relativa aos materiais necessários à experiência, ao modo de fazer e, principalmente, a um diário de bordo, onde o aluno pode escrever, uma ou duas vezes na semana, o que observou no terrário a cada dia, atuando, assim, como pequenos cientistas e pesquisadores.

2) Como produzir um bracelete reaproveitando desenhos antigos

Em geral, crianças – e até mesmo adultos – gostam de desenhar e pintar. Mas muitas vezes essas obras acabam ficando de lado, são armazenadas em pastas ou até vão para o lixo. Pensando nisso, a professora Ingrit Raffaela Santos de Freitas, em um dos vídeos de seu canal no Youtube – RaffaFe –, ensina a fazer braceletes de kirigame, dobraduras modulares, usando “desenhos abandonados”.

No processo, os alunos também aprendem a usar uma régua. A proposta é criativa, o vídeo é didático e o resultado é surpreendente.

Lotada no Ciep Vila Kennedy (8ª CRE), em Bangu, a professora produz e compartilha conteúdos diversificados em seu canal, onde ensina técnicas de pintura, trabalhos com biscuit caseiro e até a como fazer um porta-lápis em formato de polvo – que, além de útil, pode ser até mesmo um meio de abordar o Reino Animal.

3) Vídeo sobre ecossistemas do Rio de Janeiro

Um vídeo sobre ecossistemas do Rio de Janeiro integra os conteúdos compartilhados no canal do YouTube da E.M. Presidente Roosevelt (8ª CRE), em Realengo – o Explana Roosevelt.

Canal da E.M. Presidente Roosevelt reúne vídeos produzidos por professores da escola, sobre diferentes temas (Imagem: Reprodução)

No vídeo, o professor Alex Machado introduz o tema abordando os biomas brasileiros. Então, chega aos ecossistemas do Rio, em uma abordagem clara, descritiva e objetiva.  Com duração aproximada de dez minutos, a produção também traz mapas e fotografias para auxiliar o entendimento e dinamizar a proposta.

De acordo com Daniele Crespo, coordenadora pedagógica da escola, o vídeo faz parte de uma proposta iniciada nos tempos de isolamento social – para diminuir a disseminação do Covid-19 –, em que vários professores da unidade produzem conteúdos.  “O projeto se chama Roosevelt 360°. A ideia é que os professores produzam vídeos (e não videoaulas) com temas relevantes para os alunos e que precisam ser tratados na perspectiva de formação do indivíduo”, explica. A escola já abordou temas como, por exemplo, alimentação, autoestima, lazer e cidade.

4) Projeto Adote uma planta

A E.E.M. Rotary Club (11ª CRE), na Ilha do Governador, compartilhou no grupo Rioeduca 11ª CRE, no Facebook, o projeto Adote uma planta de estimação. A proposta é estimular nos alunos o cuidado com esses seres vivos, que são parte muito importante do meio ambiente e melhoram a qualidade do ar, por exemplo.

A ideia é que, primeiro, o aluno escolha uma planta de sua casa para adotar e faça uma placa no estilo “Maria adotou esta planta, chamada ____”, prendendo-a, com cuidado, no vaso. Então, o estudante deve conversar com alguém de sua casa sobre os cuidados necessários à planta e decidir pelos quais ficará responsável. A partir daí, o aluno  fica responsável pela “planta de estimação”.

A escola acredita que, nesse projeto, possa trabalhar a sustentabilidade, colocar os alunos em contato com texturas, cheiros e sabores e, ainda, possibilitar uma postura de comprometimento com o planeta e seus habitantes. 

5) Como fazer vasos personalizados com garrafas de plástico

Africanas: vasos temáticos produzidos por Julia Dutra (Foto: Arquivo pessoal da professora)

Reaproveitar garrafas de produtos de limpeza, aproximar-se da natureza, decorar a casa e, ainda, valorizar elementos da cultura afro-brasileira são algumas das propostas da professora de Artes Julia Dutra, que atua nas escolas municipais Evangelina Duarte Batista, em Marechal Hermes, e José Emygdio, em Osvaldo Cruz, ambas da 5ª CRE, com turmas do Ensino Fundamental II.

Em um vídeo, ela ensina a fazer vasos estilizados para plantas, ervas e temperos, explorando personagens infantis, temas de produções audiovisuais e o seu preferido: o de estilo africano. “Gosto de fazer as africanas porque têm representatividade para mim. Eu, como mulher negra, gosto muito”, ressalta a professora no vídeo.

Para construir o vaso, são necessários uma garrafa de desinfetante ou amaciante, um pedaço de tecido (para ser o turbante da africana), lixa, tintas e pincéis, tesoura e caneta permanente.

Em seu canal, a professora também ensina a confeccionar um filtro dos sonhos, bonecas Abayomi e até uma releitura de vaso de cerâmica indígena.

6) Como fazer uma árvore das estações do ano

Desenhos, pinturas, recorte e colagem são algumas das propostas usadas para abordar as estações do ano com crianças. Apostando nisso, a professora de Artes Jéssica Riveiro de Andrade, que atua com o Ensino Fundamental I na E.M. Olegário Mariano (5ª CRE), em Rocha Miranda, propõe a construção da Árvore Estações do Ano em um dos vídeos de seu canal no YouTube, Artes que eu faço.

Para fazer a árvore, poucos materiais são necessários: uma folha de papel A4, lápis de cor, canetinha, cola e tesoura. A ideia é que os alunos estudem as estações do ano de maneira criativa e divertida.

Em seu canal, a professora Jéssica também ensina os alunos a fazer diferentes tipos de desenhos, dobraduras, cartões e jogos, voltados para o primeiro segmento do Ensino Fundamental.

7) Como fazer flores de papel e de tecido

O reaproveitamento de materiais, além de muito importante para a preservação do meio ambiente, possibilita a confecção de uma série de artesanatos que podem ser usados, por exemplo, para decorar uma casa.

Flores feitas por Sandra Manso, com tecidos de diferentes estampas (Foto: Arquivo pessoal da professora)

Uma das atividades que a professora Sandra Manso, da E.M. Professor Antônio Boaventura (9ª CRE), em Campo Grande, costumava propor na unidade e realizou, inclusive, com pais e responsáveis pelos alunos, é a oficina de flores.

Para confeccionar as flores, são necessários: páginas de revistas velhas ou pedaços de tecidos; palitos de bambu seco, de churrasco ou, ainda, galhos secos de árvore; tesoura e cola (branca ou de tecido, dependendo do material usado). Sandra explica que, primeiro, é preciso cortar círculos pequenos de papel ou de tecido. Cada círculo dará origem a uma flor.

“A Matemática está presente em todos os momentos da nossa vida, até na Arte. Veja só, desenhamos e cortamos um círculo para produzir uma flor. Em seguida, o dobramos na metade e passamos cola nesse meio circulo. Então, centralizamos o palito ou galho seco e dobramos cada lado de forma a formar dois triângulos. Por último, é só modelar a flor”, explica a professora, que atua com o 6º Ano Carioca.

“Temos que preservar o meio ambiente, cuidar da nossa Terra. E podemos fazer da nossa vida, um momento de alegria, reaproveitando materiais que iriam para o lixo”, finaliza a docente.

8) Como plantar sementes de tomate e de temperos   

O EDI Dois de Julho (1ª CRE), localizado em São Cristóvão, compartilhou em sua página no Facebook um vídeo produzido pela professora Fabiana Nunes da Silva Guimarães, no qual a docente ensina um passo a passo sobre como plantar sementes de tomate em casa. Além de aproximar as crianças da natureza e ensinar a importância do cuidado com os seres vivos, a atividade ainda estimula a alimentação saudável e envolve toda a família.

Em uma proposta semelhante, a professora Karla da Silva Mero, da Creche Municipal Samora Machel (1ª CRE), em Benfica, sugere a construção de um canteiro de temperos e outras plantas, reaproveitando raízes e sementes de hortaliças. Assim, pretende-se integrar aprendizado, sensibilidade e conscientização sobre a importância da natureza. A atividade foi compartilhada no perfil da creche no Facebook.

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes