Da série
Bairros Cariocas
04 Fevereiro 2015
0
0
0
s2sdefault
 

quadraAs terras correspondentes ao atual bairro de Padre Miguel faziam parte da Fazenda Água Branca, que pertencia à família Barata. O desenvolvimento da localidade foi incrementado a partir da inauguração da Estação Ferroviária de Moça Bonita, em 6 de abril de 1940. O folclore da região atribui o apelido à beleza de uma moradora, que atraía a atenção dos cadetes da Escola Militar de Realengo. Moça Bonita também é o apelido do Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho, inaugurado em 1947 e localizado em Bangu. Padre Miguel é, na verdade, uma faixa de terra situada à esquerda de Realengo e à direita de Bangu.

Já o padre homenageado no nome é o monsenhor Miguel de Santa Maria Mochon, nascido em Granada, na Espanha, em 1879. Aos 29 anos, ele chegou à região para assumir a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, inaugurada em substituição à capela construída em 1758. Ao redor do templo, ex-escravos angolanos realizavam feiras, nas quais alocavam suas mercadorias sobre pedaços de tecidos ou esteiras de sisal. Engajado na melhoria da qualidade de vida da população, o religioso foi responsável pela criação de diversas escolas na redondeza, nas quais se estima que cerca de 34 mil crianças teriam se alfabetizado.

Grande incentivador do teatro amador, o padre Miguel era também um apaixonado por cinema. Tanto que, naquele início do século XX, produzia filmetes mudos de cunho religioso, os quais costumava exibir para a comunidade na casa paroquial. O cinema improvisado só terminou depois de um assalto, no qual foi levada uma quantia de 100 mil cruzeiros que havia sido doada para obras na igreja. A fim de repor o dinheiro perdido, não restou ao padre alternativa, a não ser se desfazer do seu equipamento, como independenteconta Brasil Gerson no livro História das Ruas do Rio.

Depois da morte do padre Miguel, em 1947, a estação de trem e o bairro foram rebatizados como forma de agradecimento. Anos após o sepultamento, no Cemitério do Murundu, seus restos mortais foram transladados e se encontram, atualmente, na igreja matriz. Já o nome da estação de trem também foi atualizado: com a relevância crescente da escola de samba, passou a se chamar Mocidade Padre Miguel.

Maracanã do Samba

Principal agremiação do bairro, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel foi criado em 10 de novembro de 1955, com as cores verde e branca, a partir de um time de futebol amador, o Independente Futebol Clube. Seu primeiro desfile aconteceu no carnaval seguinte. Três anos depois, a bateria da escola já se destacava, graças à famosa “paradinha” lançada por Mestre André e logo copiada por outras escolas de samba. Em 2012, a Mocidade inaugurou sua nova quadra, que fica na Avenida Brasil e é a maior da cidade. Com capacidade para 12 mil pessoas, recebeu o apelido de Maracanã do Samba. Mas a escola de samba não é a única do bairro: em branco e vermelho, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Padre Miguel foi fundado em 12 de novembro de 1957.

ponto chicMuitos dos sambistas da região têm sua história pessoal ligada ao conjunto residencial Cardeal Dom Jaime Câmara, o maior do estado e que, durante anos, foi também o maior da América Latina. Localizado entre os bairros de Padre Miguel e Bangu, é considerado um sub-bairro. Construído durante a gestão do governador Carlos Lacerda (1960-1965), o conjunto recebeu parte da população removida de favelas do Leblon, Lagoa e Maracanã. Em um conjunto vizinho ao Jaime Câmara, do Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI), fica um dos centros de cultura mais representativos da Zona Oeste: o Ponto Chic.

Considerado pela Prefeitura um Ponto Carioca, o Ponto Chic é, na verdade, a concentração dos moradores na Rua Figueiredo Camargo para curtir, além do samba nos ensaios da Mocidade Independente, outros movimentos culturais de resistência. Como o baile charme, estilo assim batizado pelo DJ Corelo, nos anos 1980, sendo uma vertente mais melódica do soul norte-americano. O evento acontece há 16 anos no segundo sábado do mês, a partir das 15h, com classificação livre e entrada gratuita. A festa Dinossauros da Black Music atrai, ainda, os fãs de hip-hop e de soul music. Fora os ensaios dos blocos de carnaval das cercanias, como o 10+ Malandros.

Mídias Relacionadas
Bairros Cariocas
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes