ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Logo Cartografias
Boas Práticas
Educação das Relações Étnico-Raciais
Decolonizando o currículo
Informações
Relato
Resultados Observados
TEMÁTICA SELECIONADA
  • Práticas de educação das relações étnico-raciais
UNIDADE DE ENSINO
EM álvaro Moreira - 11ª CRE
Rua Abélia 340 - Jardim Guanabara
AUTOR(ES)
Marcia Gloria da Costa Lima Henrique

Sou formada em Letras (Português-Literatura), pós-graduada em Administração Escolar e em História da África, com especialização em Educação de Jovens e Adultos (EJA). Sou professora concursada da rede municipal carioca e da rede estadual do Rio de Janeiro. No Estado, fui diretora-adjunta por 15 anos do Ceja Ilha do Governador. Sou militante do Instituto de Pesquisas Negras (IPCN), uma entidade do Movimento Negro.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Professor Docente II
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
2º ano
4º ano
OBJETIVOS

  • Construção da identidade preta e indígena através do conhecimento e reconhecimento do protagonismo dessas etnias em nosso país e na história da humanidade.

HABILIDADES
2º ano - Anos Iniciais - Reconhecer o respeito às diferenças como expressão dos nossos direitos e dos outros.
4º ano - Anos Iniciais - Identificar e comparar aspectos culturais dos grupos sociais de seus lugares de vivência, seja na cidade ou no campo, destacando os modos de vida de povos e comunidades tradicionais.
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Fevereiro/2022 até atualmente
Todas as minhas práticas levam em consideração um currículo antirracista e decolonial. Cito o exemplo da alfabetização na atual turma 1201 da E.M. Rodrigo Otávio (11ª CRE) que foi trabalhada a partir de histórias que escrevi sobre o Baobá. Até minha participação nos projetos da Prefeitura privilegiou biografias negras: no Festival de Teatro da Rede (Festa), de 2022, os alunos apresentaram a biografia de Pixinguinha; e, em 2021, o sexto ano participou da Mostra de Dança com a biografia de Ruth de Souza e com o Teatro Experimental do Negro (TEN) de Abdias Nascimento.
Os alunos da turma 1201, oriundos da turma 1101, para a qual lecionei em 2021, têm o Baobá como grande Griot contador de histórias. As meninas pretas se identificam com as princesas das histórias pretas que conto
Registros
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.