ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Logo Cartografias
Boas Práticas
Apoio Interdisciplinar do NIAP/PROINAPE
Roda de Conversa Mediada pela Poesia Falada
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EM Monte Castelo - 6ª CRE
Rua Ouseley S/nº - Coelho Neto
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Unidade não vocacionada
AUTOR(ES)
Ana Paula do Nascimento Moreno e Jair Dias Augusto Júnior
Jair Dias Augusto Junior: Pedagogo, psicólogo, psicanalista, poeta e mediador de leitura, declamação e escrita poética de adolescentes na rede de educação pública da cidade do Rio de Janeiro. Finalizou o Mestrado em psicanálise no ano de 2016. Trabalha como psicanalista clínico desde 2004 e ingressou como psicólogo na SME em 2012. Foi aluno de poesia falada da Casa Poema, de 2014 a 2020, onde aprendeu e vivenciou a potência da palavra “viva” na construção da cidadania.
Ana Paula do Nascimento Moreno: Assistente Social e especialista no Atendimento à Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Doméstica e Gênero e Diversidade. No momento está cursando a especialização Impactos da Violência na Escola, pela FIOCRUZ. Trabalha como Assistente Social desde 2003 e ingressou na SME em 2007.
Desde de 2017, organizam juntos com outros profissionais do PROINAPE, a coleção de livros “Poesias ao Vento”, que reúne poesias de alunos de algumas escolas da 6ª CRE.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Assistente Social e Psicólogo
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
6º ano
7º ano
8º ano
9º ano
Carioca I
Carioca
OBJETIVOS

Promover diferentes formas de expressão dos alunos sobre questões da adolescência que atravessam o seu desenvolvimento psicossocial, como: luto pela saída da infância, o luto da perda de entes queridos, a ideação suicida, a automutilação, os encontros e desencontros do amor e da sexualidade, o racismo, o machismo/feminismo como efeito das múltiplas violências e da desigualdade social no cotidiano escolar; Fomentar os processos de leitura, interpretação de texto, escrita e oralidade dos alunos participantes e ouvintes; Instrumentalizar os alunos para que gradualmente ocupem seu lugar de fala na vida, enfrentando suas angústias, dúvidas e medos, estimulando o respeito à diversidade dentro de si e do outro; Contribuir na formação do “aluno cidadão” consciente de seus direitos e deveres, usando a “palavra” como mediadora de convivências e conflitos; Fomentar através do protagonismo dos alunos o envolvimento da comunidade escolar na discussão e nas ações contra as múltiplas violências.

PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Março/2019 até Dezembro/2022
Nossa proposta de atividade de leitura, embasada no enfoque discursivo, é justificada pelos resultados obtidos com nossas experiências como mediadores de leitura e escrita de poesia e também na BNCC que propõem o desenvolvimento de habilidades de leitura, onde os alunos sejam capazes de ler em voz alta diversos tipos textuais, expressando sua compreensão e interpretação. Esse projeto fomenta um protagonismo juvenil amplo, pois permite que o estudante escolha um texto significativo para interpretar, decorar e apresentar em espaços diversos, dentro e fora do ambiente escolar. Assim, os estudantes ouvem com atenção o que outros autores de poesia (inclusive alunos autores de sua própria escola), estão escrevendo sobre seu tempo psicológico e social e assim demonstram também sentir mais vontade ler, escrever e se posicionar. Aqui, as diversas formas de violência que perpassam a vida dos adolescentes são nomeadas e discutidas. E assim, graças a uma grande interação dialógica que envolvem diversos interlocutores e mediadores, focada no incentivo do protagonismo literário, eles começam a, gradualmente, produzir seus próprios textos e formas de lidar com essas violências. Os textos orais e escritos com os quais temos contato desde nosso nascimento, nos atravessam e nos formam como seres falantes, nosso ser clama por ocupar um espaço de fala no mundo, junto àqueles que estão próximos. Na escola, em rodas de conversa como essa, ampliamos e intensificamos as experiências individuais, interpessoais e dialógicas tão necessárias para desenvolvermos ainda mais nossa capacidade inata de seres discursivos.
Na análise dos resultados, entendemos que ele alcança a maioria dos objetivos propostos. Gaia aponta que precisamos “destruir a pedagogia do silêncio em nossas escolas e permitir que as vozes dos sujeitos estudantes possam ser cruzadas, intercambiadas em esquemas de comunicação autêntica, menos artificiais, postiços, conservadores e autoritários” (GAIA, 2013, p.93). Tem sido nessa direção as tentativas de nossa prática, e assim temos observado e registrado nossos alunos em um movimento de apropriação dos múltiplos sentidos do ler, do escrever, do aprender, do frequentar a escola, marcando suas posições diante das diversas questões da adolescência, entre elas a violência. Poesia também é resistência, política social e cidadania. Nos motiva sabermos que outros adolescentes serão “contaminados” pelas palavras que essa atividade tem ajudado a construir e esperamos que eles também desejem escrever as suas próprias. Temos testemunhado que o protagonismo literário dos jovens é uma das formas de lidarmos com a violência na vida e na escola.
Referências Bibliográficas

AUGUSTO JUNIOR, J.D. Algumas possibilidades da psicana?lise diante da angu?stia envolvida no impossi?vel de educar. Rio de Janeiro: Letras e Versos, 2020.

AUGUSTO JUNIOR, J.D. (org). Poesias ao vento: tempo de resistência. Rio de Janeiro: Letras e Versos, 2022.

BRASIL. Ministe?rio da Educac?a?o. Base nacional comum curricular. Brasi?lia, DF: MEC, 2017. Disponi?vel em: . Acesso em: 21 de março 2020.

CHIACHIRI, Maria Ângela de Freitas. Metodologia do ensino: produção de textos. Batatais, SP: Claretiano, 2013.

GAIA, Ce?lia; GOULART, Marina. Metodologia do ensino: Formac?a?o do leitor. Batatais, SP: Claretiano, 2013.

MORAIS, Andreia; OLIVEIRA, Maria Rejane; JÚNIOR, Jair Dias Augusto (organizadores). Poesias ao vento. Nova Iguac?u, RJ: Entorno, 2017.

MORENO, Ana Paula, AUGUSTO JR., Jair Dias, Amaral, Simone (organizadores). Poesias ao vento: a brisa virou ventania, Rio de Janeiro: auto publicação, 2018.

MORENO, Ana Paula, AUGUSTO JR., Jair Dias, AMARAL, Simone (organizadores). Poesias ao vento: Lindsay presente! Rio de Janeiro: auto publicação, 2019.

OLIVEIRA, M. K. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogene?ticas em discussa?o. Sa?o Paulo: Summus, 1992.

Registros
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.