ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Apoio Interdisciplinar do NIAP/PROINAPE
Diálogos sobre emoções
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EM Aleksander Henryk Laks - 7ª CRE
Avenida Canal do Anil 1201 - Gardênia Azul
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Escola do Programa Bilíngue
AUTOR(ES)
Alessandro Villela ; Debora Sendra ; Giane Moreira
Professor Alessandro Villela Mendes, mestre em psicologia, professor de Ciências da Rede Municipal de Ensino desde 2007, atua no NIAP/SME desde 2018.

Débora Salazar Sendra Pinheiro - Assistente Social graduada pela UERJ , Especialista em Saúde Mental pelo IPUB/UFRJ , Assistente Social da Prefeitura do Rio de Janeiro , atua no NIAP/SME desde

Prof. Dra. Giane Moreira dos Santos Pereira, Doutora em Educação pela UNESA , professora de Educação Física da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro desde 1994, atua no NIAP/SME desde 2014.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Professor ; Assistente Social ; Professora
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
6º ano
7º ano
8º ano
9º ano
OBJETIVOS

Trabalhar as habilidades socioemocionais: abertura para o outro, engajamento com os outros, amabilidade, resiliência emocional, autogestão.

Tendo como objetivos específicos: 1- Abrir espaço de escuta e fala para os adolescentes; 2-Tratar de assuntos relacionados a adolescência; 3-Criar referência e rede de apoio entre os próprios adolescentes; 4- Estimular a autonomia dos adolescentes; 5-Promover a autoestima e autoconhecimento; 6-Criar estratégias para manejo das emoções; 7-Compreender que as emoções são parte da condição humana e nos permitem posicionamento frente às situações do mundo.

HABILIDADES
2º ano - Anos Iniciais - Expressar estados e emoções.
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Março/2022 até Novembro/2022

O público-alvo da ação foram alunos de diversas turmas, do 6º ao 9º ano, encaminhados pelos professores, direção e provenientes de demanda espontânea. Todos esses alunos têm em comum relato de sofrimento psíquico, predominantemente crises de ansiedade.

Foram feitas rodas de conversa semanais, de março a novembro, com os mesmos alunos, seguindo uma sequência e acompanhamento com análise das demandas trazidas por eles para planejamento do encontro seguinte. Durante o ano, com a procura de outros alunos pelo apoio do PROINAPE, criamos mais dois grupos, um de junho a novembro e o outro de agosto a novembro. A quantidade de alunos por grupo alternou entre 7 e 15 alunos.

Lançou-se mão das seguintes estratégias na realização dos grupos: rodas de conversa temáticas (bullying, questões de gênero – machismo – e sexualidade, questões familiares); utilização de linguagens artísticas (jogos teatrais, poesia falada, artes plásticas); atividades lúdicas, desafios, meditação, exercícios de respiração, e dinâmicas para promover o autoconhecimento. Essas estratégias foram utilizadas como sensibilização para possibilitar a expressão de afetos, emoções e sentimentos desencadeados pelas questões e desafios vividos pelos adolescentes.

A partir do grupo, alguns alunos demandaram atendimentos individuais e articulações com a rede de saúde, saúde mental, assistência e lazer para ampliar a rede de apoio dos adolescentes e seus familiares.

O impacto do trabalho se evidenciou por meio da crescente procura dos alunos por participação, bem como reconhecimento, pelos professores e gestão, dos efeitos positivos do grupo no comportamento dos alunos.

Ao longo das ações propostas nas Rodas, as alunas trouxeram questões geradoras de ansiedade e puderam dividir suas experiências. Neste contexto, os grupos cumpriram o objetivo de promover encontros dialógicos entre elas, possibilitando compreensão e ressignificação dos sentimentos e relações estabelecidas, percebidos pela equipe pelas falas e atitudes das alunas participantes no decorrer dos encontros, que partilhavam conosco suas estratégias para lidar com as práticas relatadas, com a nossa mediação. Essas trocas constantes criaram laços de pertencimento ao grupo e uma rede de fortalecimento e solidariedade entre elas. As alunas tornaram-se multiplicadoras da atividade, gerando grande procura por parte de outros alunos e dos professores, que foram nossos parceiros nesse projeto.

Referências Bibliográficas

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em saúde. Metodologia de Educação entre pares – Adolescentes e jovens para educação entre pares – Saúde e prevenção nas escolas. Distrito Federal: 2010

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO. Núcleo Interdisciplinar de apoio às escolas. Vamos Conversar sobre Adolescências. RIO DE JANEIRO: 2017

UNICEF. O direito de ser adolescente: Oportunidade para reduzir vulnerabilidades e superar desigualdades. Fundo das Nações Unidas para a Infância. – Brasília, DF: UNICEF, 2011. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/pt/br_sabrep11.pdf

Registros
IMAGENS
PDFs
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.