ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Apoio Interdisciplinar do NIAP/PROINAPE
DEIXANDO A PALAVRA CIRCULAR
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
CIEP Antonio Evaristo de Moraes - 8ª CRE
Avenida de Santa Cruz S/N - Senador Camará
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Unidade não vocacionada
AUTOR(ES)
Marciane Farias, Ivanisi Souto e Thatiany Ribeiro
Marciane da Silva Farias Assistente social formada pela UFRJ, integrante do Programa interdisciplinar de apoio às escolas /Proinape. Atua na educação desde 2007. Ivanisi Souto dos Santos, possuo graduação em Serviço Social Universidade Pontifícia Católica do Rio de Janeiro (PUC). Trabalho como assistente social na Prefeitura do Rio de Janeiro-Secretaria Municipal de Educação/ PROINAPE 8ª CRE. Thatiany Gomes Ribeiro Assistente Social da Prefeitura do Rio desde 2007. Formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 2004.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Assistentes sociais
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
1º ano
2º ano
3º ano
4º ano
5º ano
OBJETIVOS
O objetivo da atividade foi criar um espaço onde os professores pudessem jorrar seus anseios e apreender elementos que auxiliassem a prática pedagógica, referentes a questões do pós-pandemia
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Agosto/2022 até Agosto/2022

A equipe elaborou um encontro junto com os professores da Educação Infantil, conforme solicitação da direção e da coordenação pedagógica. A demanda surgiu devido à dificuldade dos professores, diante dos desafios do trabalho no pós-pandemia. Utilizamos a metodologia de Roda de Conversa cujo conteúdo referiu-se a: retorno pós-pandemia, relações de trabalho com os atores do universo escolar e a necessidade de dar conta de todas as cobranças. Iniciamos com perguntas disparadoras para reflexão em torno dos desafios no trabalho, sendo elas: - Como era o grupo antes da pandemia? - Como está o grupo hoje? - O que te levou a ser professor/professora? Esse foi o momento onde a palavra circulou entre as participantes. Ao final a equipe leu uma poesia sobre a potência das palavras no ato de educar, utilizando ainda algumas falas das participantes quando questionadas sobre "O que é ser professor?", que será descrita abaixo. O grupo contou com a presença de 14 professoras.

O que é ser professor? “O que é escola? O que é? ‘É uma ilha cercada de gente por todos os lados’ (Paulo Freire). Tem professor? É, o professor é uma ilha cercado de alunos por todos os lados. Mas tem funcionários, responsáveis, os alunos... E algumas escolas ainda têm que lidar com ‘empresários’ da região. Tiroteios, ameaças, violência... Tem violência na escola? Tem! E onde não tem? Onde começa a violência? Onde começa? Onde? Está na palavra? Nas ações? Nos palavrões? Será que a palavra em si, mesmo sendo palavrão, já é violência? Será? Será? Será? Ah, as palavras! O que são? As palavras são entidades mágicas, Potências feiticeiras, Poderes bruxos que despertam os mundos que jazem dentro dos nossos corpos! O corpo é o lugar fantástico onde mora, adormecido, um universo inteiro… tudo adormecido. ‘O que vai acordar é aquilo que a Palavra vai chamar’. (Rubem Alves) Chama! Desperta! Educa! E a escola? E os alunos? E o professor? E os responsáveis? Todo mundo convivendo na escola... É possível? É possível? É? Projetos humanos são construídos em rede. Nunca sozinhos! Mas a rede está um pouco desgastada, é verdade. Mas é possível! É difícil! E lembrando: Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor assim, não morre jamais”.

Foi uma atividade pontual, mas atingimos o objetivo proposto, que foi gerar reflexões acerca da temática. O que ficou explicito nas falas das participantes: - “Foi um momento bom, de troca”; - “Saí energizada”; - “Mais momentos como esse precisam acontecer".
Referências Bibliográficas

ALVES, Rubem. A alegria de ensinar. 6ª

ed. Campinas: Papirus, 2000.

FREIRE, Paulo. A escola, Nova Escola,

Nº 163, Jun-Jul,2003.

Registros
IMAGENS
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.