ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Educação Infantil
Representatividade e Protagonismo Infantil
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EDI Frota Pessoa - 6ª CRE
Rua Acataia 205 - Costa Barros
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Unidade não vocacionada
AUTOR(ES)
Antonia Alice de Sousa Farias
Professora da Educação Infantil SME/ RJ, Graduada em Pedagogia pela a Universidade Castelo Branco (2012) e Pós Graduada em Educação Infantil e Desenvolvimento pela a Universidade Cândido Mendes (2013.
Participa do Coletivo de Professores Antirracistas kûabapé Ori. Realizou de cursos livres e oficinas voltados para uma Educação Antirracista e Afrorreferenciados, Onã- Infâncias e Relações Étnico- Raciais, 15 horas. Oficina: "Escrita Literária Antirracista", ministrada pela professora Kiusam de Oliveira,3 horas. Práticas Antirracistas na Educação Básica, Awa Educadoras, 20 horas.
Griot Brinca e Conta, Escola de Formação Paulo Freire, 20 horas. Letramento Racial, 10 horas. Formação em Artes Integradas para professores do Programa Imagens em Movimento, 40 horas. Oficina do Projeto PIA - Primeira Infância Antirracista, Unicef/ PROMUNDO, 8 horas
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Professora de Educação Infantil
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
Pré II
OBJETIVOS

(EIO3OO1) Demonstrar empatia pelos outros, percebendo que as pessoas têm diferentes sentimentos, necessidades e maneiras de pensar e agir;

(EIO3EOO5) Demonstrar valorização das características de seu corpo e respeitar as características dos outros (crianças e adultos) com as quais convive;

(EIO3EOO7) Manifestar interesse e respeito por diferentes culturas e modos de vida;

(EIO3ETO6) Relatar fatos importantes sobre seu nascimento e desenvolvimento, a história de seus familiares e de sua comunidade;

(EIO3EFO2) Expressar ideias, desejos e sentimentos sobre suas vivências, por meio da linguagem oral e escrita (escrita espontânea), de fotos, desenhos e outras formas de expressão.

PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Fevereiro/2022 até Dezembro/2022
PÁGINA(S) DA PRÁTICA/PROJETO NA INTERNET

As atividades aqui propostas, tiveram a intencionalidade em valorizar a cultura africana e afro-brasileira, exaltando a nossa ancestralidade através dos povos africanos e dos povos originários.

Possibilitando as crianças da Pré-II, turma EI-52, a se reconhecerem e se verem como sujeitos de suas próprias histórias.

É na Educação Infantil, a porta de entrada para a Educação Básica, onde os Valores Civilizatórios contemplados por Azoilda Trintade, são elevados ao seu nível máximo de experimentação.

A circularidade das rodas, está no experienciar espaços externos dos das salas de atividades (quintal da Unidade escolar), no contato com elementos naturais, na horta ou no jardim. São conexões que viabilizam a criança e o educadores transcenderem esses valores no contato com a energia vital que está em tudo que nos cerca.

Nosso trabalho é anual e se pauta nas Leis 10.639/2003 e 11.645/2008, atravessado pelo Projeto Político Pedagógico da Unidade Escolar “Brincando se Aprende". Nossa turma ganhou o nome de "UBUNTU", onde as crianças entendem o significado e valorizam a importância dessa filosofia africana.

A literatura afrorrefenciada sugerida pela GERER, permeia o nosso fazer pedagógico, onde a pauta do trabalho se faz com a representatividade e o protagonismo dessas crianças. Seja nas brincadeiras de origem africana e indígena, seja com o olhar sobre (o) boneca (o), livros e se ver representado (a) neles.

Nota-se o quanto a autoestima das crianças é trabalhada e potencializada com prática de leituras afrorreferenciadas. O empoderamento e o senso de pertença reina em nossa sala de atividades, viabilizando protagonismo das crianças. Percebemos que essa pertença ultrapassa os muros da escola, podendo ser observado através dos relatos das famílias, onde pautas como o colorismo e a do” lápis cor de pele” está relacionado a cor da pele da criança, possibilitada pelos tons dos giz de cera diversos. A valorização das características físicas, os cabelos e a sua diversidade. Trabalhando as individualidades.

Contudo, as ações desenvolvidas contemplaram e valorizaram toda essa identidade cultural que está “na pele”. Com isso é visível a participação de toda comunidade escolar, incluindo especialmente pais e responsáveis no processo de potencializar e empoderar nossas crianças.

Registros
IMAGENS
Experiências com a Brincadeira Osami
Experiências Individuais com a Literatura Afrorreferenciada
Experiências com Elementos Naturais
Experiências com Giz Cor de Pele
Experiências Coletivas com a Literatura Afrorreferenciada
Experiência Coletiva Com a Literatura Indígena
Experiências com Giz Cor de Pele
Experiências Individuais com a Literatura Afrorreferenciada
Experiências com Elementos Naturais
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.