ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Educação de Jovens e Adultos
Qual o papel da mulher hoje?
Informações
Sequência Didática
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EM Padre Manuel da Nóbrega - 4ª CRE
Rua Professor Lace 437 Fundos - Ramos
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Unidade não vocacionada
AUTOR(ES)
Professores Marcelo, Karla, Tania, Vanessa, Luciano , Ana Maria, alunos e alunas.
Somos professores do PEJA da EM Padre Manuel da Nóbrega que iniciou o PEJA em 2012 e estamos desde então aprendendo muito com as experiências trazidas pelos alunos e alunas durante esse percurso, trabalhando temas que possam trazer reflexões para a nossa realidade, trocando experiências, dando voz aos invisibilizados e ouvindo muito daqueles que são a parte mais importante do objetivo da escola, os alunos e alunas, em busca de uma maior conscientização, de um país plural, visando a uma cidadania plena.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Professor I: Marcelo (Hist), Karla (LP), Tania (Mat), Vanessa (Cie); Professor II: Luciana e Ana Maria.
EJA/Bloco
EJA I Bloco 1 , EJA I Bloco 2 , EJA II Bloco 1 e EJA II Bloco 2
COMPONENTE CURRICULAR
CIÊNCIAS / Reconhecer a saúde individual e coletiva em suas dimensões física, mental, social e ambiental, como um bem e direito do cidadão.
HISTÓRIA/GEOGRAFIA / Compreender como relações de poder e dominação são construídas socialmente, indicando um determinado modelo de desenvolvimento socioespacial.
HISTÓRIA/GEOGRAFIA / Reconhecer e valorizar a multiplicidade das matrizes que constituem a identidade do povo brasileiro.
LÍNGUA PORTUGUESA / Analisar criticamente os discursos.
LÍNGUA PORTUGUESA / Reconhecer a língua escrita e a oralidade como meios de expressão, interação e comunicação.
MATEMÁTICA / Expandir o uso de procedimentos matemáticos a partir de suas experiências construídas no dia-a-dia, deduzindo, argumentando, fazendo comparações, estimativas e por meio do cálculo mental.
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Março/2023 até Março/2023
Problematização
Apesar de uma herança histórica do sistema social patriarcalista, a mulher tem se inserido cada vez mais como protagonista na sociedade atual, assumindo novos papéis, para além de dona de casa, mãe e esposa, ocupando postos no mercado de trabalho e cargos de liderança em escolas, universidades, empresas, cidades e, inclusive, países. Sendo assim, é preciso discutir sobre as questões de gênero, considerando a importância da defesa dos direitos e da igualdade entre os indivíduos para a construção de uma sociedade mais justa, equânime e democrática. A partir do que foi sendo discutido na sensibilização com as alunas, muita coisa apareceu e muitas se abriram contando seus problemas e seus sofrimentos. Isso parece que permitiu uma aproximação de afetividade que levou a um momento de grande troca de experiências e de desenvolvimento da humanidade. Mostrou também o lado da vida diária das alunas que não são observados durante as aulas, tanto pela informalidade das conversas quanto pela oportunidade de poderem falar sobre seus problemas em relação ao machismo e o que sofrem diariamente.
Texto base
Foram utilizado vários textos e alguns vídeos para que os alunos e alunas pudessem analisar o papel das mulheres na história e a partir deles, pudesse discutir e debater o papel da mulher no mundo contemporâneo. Após observarmos e refletirmos sobre os quatro dias de troca, percebemos o quanto foi importante tanto para os alunos e as alunas quanto para nós professores e professoras. Isso permitiu novos olhares e novas formas de trabalharmos projetos com nossos alunos para que realmente se desenvolva a parte humana além do conhecimento formal, aperfeiçoando a prática e a teoria, transformando pessoas e humanizando mais nosso cotidiano. Criando afetos e tornando-nos parte da sociedade e criando uma cidadania humana e afetiva
Desenvolvimento

Foram feitos 4 encontros, começando na segunda-feira e indo até a quinta-feira.

1º encontro (segunda-feira):

Com todas as turmas do PEJA, foram utilizados 2 vídeos sobre o porquê do Dia Internacional das Mulheres com a utilização de palavras de incentivo à equidade, respeito as escolhas e engajamento na luta. Ao final, foi feita uma distribuição de uma lembrancinha para todas as mulheres.

No 2º encontro e no 3º encontro, uma dupla de professores ficou com duas turmas e foram feitas as seguintes atividades:

2º encontro (terça-feira)

Turmas 171 e 191.

Os alunos assistiram vídeos motivadores falando sobre mulheres que fizeram história no passado deixando seu legado para as gerações futuras.

Turmas 151 e 161,

diante da história de grandes personalidades femininas brasileiras, foram criadas as próprias histórias dos alunos de acordo com a identidade de cada um através de redações produzidas por eles mesmos e, por fim, a confecção de cartazes com as biografias dos alunos e alunas.

Turmas 152 e 162,

em um primeiro momento, a partir do curta "Vista a minha pele", foi feito um debate sobre a questão racial. Depois foi assistido 3 vídeos da série "Projeto Pixaim" e discutido o sobre o papel do corpo e da beleza instituídos na sociedade atual. No terceiro momento, foi assistido dois vídeos, um sobre a prisão de George Floyd e outro sobre prisões feitas por foto de jovens negros no Brasil, utilizando uma reportagem falando que 83% dos presos injustamente por reconhecimento fotográfico no Brasil são negros e negras. Foi então, discutido o papel do racismo na desigualdade social, mutilando jovens negros e, principalmente, afetando mulheres negras. Por fim, em um 4º momento, foi assistido dois vídeos, um de uma entrevista de Muhammad Ali em 1971 para a BBC e outro do Bluesman que mostra um jovem negro correndo. Foi novamente debatido a questão no racismo na sociedade atual e de que modo isso afeta a vida das pessoas negras, principalmente, as mulheres negras.

3º encontro (quarta-feira)

Turmas 171 e 191,

foi feita uma escolha de algumas personagens femininas que fizeram história usando o alfabeto móvel. Depois foi feita uma pesquisa sobre a contribuição de cada uma, chegando à confecção de cartazes no estilo fichamento. Por fim, foi feita uma pesquisa do significado de algumas palavras relativas ao mundo feminino.

Turmas 151 e 161,

foi apresentado exemplo de mulheres que fizeram história, analisando dentre os exemplos, algumas mulheres negras. Quantas somos? Foi elaborada uma estatística de mulheres na ciência e esclarecido como se faz ciência, pedindo aos alunos que se eles pudessem, o que inventariam, como cientista, que seria bom para a humanidade?

Foi apresentado uma série de fotos das cientistas e depois, os alunos e alunas vestiram uma beca de cientista e tiraram fotos como possíveis cientistas futuramente.

Turmas 152 e 162,

foi apresentado Mulheres cientistas que marcaram o mundo. Depois, foi feita uma apresentação de vídeos curtos sobre o aumento do número de mulheres em diversas esferas da sociedade (Recorde de mulheres em ministérios), abrindo um debate sobre o assunto. E, por fim, foi pedido que os alunos elaborassem um pequeno texto sobre uma figura feminina importante em suas vidas.

4º encontro (quinta-feira)

As turmas foram divididas não por turma, mas por homens e mulheres.

Foi aberta uma roda de conversa com todas as alunas e professoras de todas as turmas e a partir de algumas palavras (amor, empoderamento, misoginia, patriarcado, sexismo, feminicídio, machismo, entre outras), abriu-se a discussão.

Os homens, juntamente com os professores, assistiram dois episódios da série Olhos que condenam e depois foi aberto uma discussão sobre o racismo.

Produto Final
Houve a elaboração de cartazes, de biografias dos próprios alunos e alunas e um ppt com as imagens das atividades e da roda de conversa.
Objetivos das Orientações Curriculares da EJA
Promover reflexões críticas sobre os contextos históricos e culturais e suas contradições nas questões políticas, econômicas e sociais, para uma conscientização dos sujeitos sobre sua existência no mundo e as possibilidades de sua transformação e da sociedade, além da formação da consciência cidadã, tornando-os sujeitos capazes de intervir na realidade social exercendo um protagonismo e desnaturalizando o social
Sensibilização/Contextualização para o tema

A partir da comemoração do Dia Internacional da Mulher – dia de luta, reflexão e celebração das conquistas - pensar nos avanços e retrocessos para o avanço da sociedade, discutindo a equidade de gênero, a valorização do papel da mulher na sociedade no passado, hoje e no futuro. Sendo assim, dias de se discutir e se mobilizar, utilizando palavras de incentivo à equidade, respeito às escolhas e engajamento na luta, sendo esta diária.

Foi observada uma dinâmica muito grande durante os 4 dias de atividades que envolveu toda a escola, da EJA 1, bloco 1 e 2, à EJA 2, bloco 1 e 2 em comunicação com todas as disciplinas cujo objetivo era fazer a reflexão da luta pela igualdade de gênero, as origens históricas desta luta e ouvir bastante os alunos e alunas a partir das suas falas e das suas experiências.

No 4ª encontro, uma roda de conversa, com todas as alunas de ambas as Ejas e blocos, foi realizada e dali surgiram muitas falas, muitos desabafos sobre a violência doméstica, sendo uma atividade que trabalhou bastante a questão emocional e todas, entre alunas e professoras, saíram do encontro bastante sensibilizadas e reflexivas sobre o que foi falado tanto na roda de conversa quanto ao longo dos 3 dias anteriores de atividades.

Registros
IMAGENS
PDFs
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.