ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Anos Finais
Pequenos Escritores
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EM Oswaldo Teixeira - 5ª CRE
Rua Milão 95 - Quintino Bocaiúva
UNIDADE ESCOLAR VOCACIONADA
Unidade não vocacionada
AUTOR(ES)
Aline de Azeredo Laversveiler Guedes e Rose Monteiro da Silva Cézar
Aline de Azeredo L. Guedes é professora da Rede Municipal desde 2015. É graduada em Português e Literaturas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, possui especialização em Ensino de Língua Portuguesa pelo Colégio Pedro II e atualmente é mestranda, pelo Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS), na Universidade Federal do Rio de Janeiro, com linha de atuação em Estudos de Linguagem e Práticas Sociais.

Rose Monteiro da Silva Cézar é professora da Rede Municipal desde 2011. É graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em Português e Italiano. Possui mestrado em Didattica d`italiano come lingua straniera pela Università Ca` Foscari di Venezia.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
PEF
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
6º ano
7º ano
8º ano
9º ano
OBJETIVOS

O Projeto Pequenos Escritores tem por objetivo principal promover a ressignificação do universo da escrita.

Neste projeto, os alunos são inseridos em uma didática do texto que não prevê somente uma nota atribuída ao final do bimestre, mas sim o percurso percorrido pelos alunos após as etapas de produção textual. Por terem ciência de que as produções em sala estarão disponíveis para a comunidade, os alunos sentem-se verdadeiramente motivados em participar do processo de criação e não sentem a tarefa de escrita e revisão do próprio texto como algo enfadonho.

Quando os textos dos alunos ganham visibilidade para além da sala de aula, observamos como o trabalho com a escrita criativa pode trazer mudança de comportamento, promovendo autonomia. E isso se reflete, invariavelmente, na autoestima dos alunos.

HABILIDADES
6º ano - Língua Portuguesa - Produzir textos com linguagem, estrutura e elementos próprios dos textos em versos (verso, estrofe, rima, ritmo etc. ).
6º ano - Língua Portuguesa - Realizar processo de revisão de textos, verificando a adequação ao leitor e aos objetivos da comunicação.
6º ano - Língua Portuguesa - Reconhecer as estruturas de textos em prosa e em verso (parágrafos, períodos, orações, estrofes, versos), explicando as diferentes estruturas e o propósito comunicativo dos diferentes textos.
6º ano - Língua Portuguesa - Reescrever o texto, levando em conta o proposto na revisão textual.
7º ano - Língua Portuguesa - Produzir textos, individual e coletivamente, de acordo com as condições de produção (finalidade, gênero, interlocutor), utilizando recursos gráficos suplementares (distribuição espacial, margem, letra maiúscula).
8º ano - Língua Portuguesa - Valorizar a literatura em sua diversidade cultural como patrimônio artístico da humanidade.
9º ano - Língua Portuguesa - Planejar a escrita do texto, adequada ao interlocutor e aos objetivos da comunicação, levando com conta: a finalidade, a circulação, o suporte, a linguagem, o gênero, o tema e o assunto.
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Janeiro/2022 até Abril/2022

Dentre as dez competências gerais estabelecidas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), figuram como eixos relevantes o exercício do protagonismo, através da autoria na vida pessoal e coletiva, e a participação em práticas diversificadas da produção artístico-cultural. Dentro deste viés, implementamos, em nossa escola, o Projeto “Pequenos Escritores”. Nele, alunos dos anos finais do Ensino Fundamental produzem textos que são compartilhados com a comunidade escolar em evento de culminância dos trabalhos.

Consta, como habilidade indicada pela BNCC (EF69LP51), em todos os anos finais do ensino fundamental, o trabalho com o fazer textual, em que estão previstas as etapas de planejamento, revisão e reescrita. Sendo assim, a escrita deve ser vista como um ato de construção, em que seu processo de aprimoramento ocorre de modo contínuo.

Para desenvolver proficiência na escrita e contribuir para a segurança linguística dos alunos, concebemos o ensino da prática textual como um meio processual, em que estão previstos os seguintes passos: planejamento, produção, revisão e refacção. Sendo imperativo, portanto, perceber o evento de escritura como uma construção.

A metodologia do trabalho feito em sala contou com as seguintes etapas: círculos de leitura voltados para a temática da infância e para o gênero textual poema (alguns autores abordados em sala: Pedro Bandeira, Ruth Rocha, Roseana Murray, Jose Paulo Paes, Manoel de Barros, dentre outros); bingo de rimas e jogos coletivos e oficinas de poesia de onde surgiram as primeiras versões dos textos.

A prática da produção e da refacção textual em sala, prevendo o engajamento dos alunos nos processos de planejamento, escrita, revisão/ reescrita contribuiu para um trabalho colaborativo, fazendo com que os alunos percebessem a atividade escrita como atividade processual e que pudessem ainda encontrar motivação para aprimorar o próprio texto, uma vez que estes seriam expostos em evento de culminância da Feira Literária que ocorre todos os anos, com o lançamento de um livro de poemas.

O trabalho com a práticas de linguagem em sala de aula deve ser aquele que se propõe a oferecer ao aluno maior agenciamento sobre seu fazer textual. Nesse sentido, o professor será a figura que vai, de modo dialógico, discutir os caminhos possíveis para que o aluno compreenda o processo de revisão e refacção de seu texto como uma tarefa importante em seu projeto de dizer.

Por fim, o trabalho desenvolvido contemplou as seguintes habilidades propostas pela Rede em todos os anos finais do Ensino Fundamental:

Reconhecer as estruturas de textos em prosa e em versos;

Produzir textos individual ou coletivamente de acordo com as condições de produção

Valorizar a Literatura em sua diversidade cultural como patrimônio artístico da humanidade

Planejar a escrita do texto, levando em conta a finalidade e a circulação

Produzir textos com linguagem, estrutura e elementos próprios dos textos em versos

Realizar o processo de revisão dos textos, ve

O projeto Pequenos Escritores trouxe um impacto positivo para a dinâmica da sala de aula, pois ao exercitar a prática da escrita criativa, tivemos uma ressignificação de como o aluno encara a tarefa da produção textual.

Anteriormente a mentalidade dos alunos perante a tarefa de produção escrita seguia o seguinte raciocínio: cumprir objetivos de aspectos gramaticais e alcançar os objetivos discursivos propostos pelo professor, para assim conseguir uma boa nota, encerrando-se nela sua relação com a tarefa de escrever textos.

Com o desenvolvimento do projeto, os alunos se mostraram engajados e dispostos a participar da Feira Literária promovida pela escola. Isto se deve ao fato de estarem expostos a práticas que valorizam a autoria e o exercício da criatividade, com trabalhos que podem ser compartilhados alunos da escola ou até mesmo com a comunidade escolar. Isto é, escrever deixou de ser uma tarefa meramente avaliativa para se tornar uma oportunidade de desenvolver o protagonismo.

Registros
IMAGENS
VÍDEOS
PDFs
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.