ACESSIBILIDADE:
Acessibilidade: Aumentar Fonte Acessibilidade: Retornar Fonte ao Tamanho Original Acessibilidade: Diminuir Fonte
Ícone do YouTube Ícone do Facebook Ícone do Instagram Ícone do Twitter Ícone do Tik Tok
Ícone Sanduíche para Navegação
Logotipo do Projeto Cartografias de Boas Práticas da Rede Navegue pelo mapa e conheça as diferentes ações escritas e promovidas por profissionais de toda a nossa Rede.
Boas Práticas
Educação das Relações Étnico-Raciais
As princesas negras que nos inspiram
Informações
Relato
Resultados Observados
UNIDADE DE ENSINO
EM Bertha Lutz - 10ª CRE
Rua Gabriel Militão Machado S/nº Praia da Brisa - Guaratiba
AUTOR(ES)
Gislene Chatack de Paula

Oriunda de uma família de baixa renda da Baixada Fluminense, fui criada por uma típica família brasileira das regiões menos abastadas do nosso estado: aquela que é formada por mãe e avó.

Apesar dos poucos recursos financeiros – minha mãe era auxiliar de serviços gerais e minha avó, camelô –, meus familiares sempre me rodearam de livros e revistas em quadrinhos

Neste núcleo familiar tão pequeno (que incluía uma irmã mais nova) mas tão cheio de afeto, o estudo era um dos valores principais. Em busca de "ser alguém na vida" e melhorar as condições de minha família, estudei em cursinhos comunitários e prestei vestibular até conseguir entrar para a faculdade que eu tinha como objetivo, pois sempre ouvi falar que era uma das melhores. Após algumas tentativas, consegui ingressar no Curso de Graduação em Pedagogia da UFRJ. Em 2021, concluí o mestrado em Educação pela mesma instituição.
CARGO/FUNÇÃO DO AUTOR
Professora / PEF - Anos Iniciais
ANOS/GRUPAMENTOS ENVOLVIDOS
4º ano
OBJETIVOS

  • Proporcionar a inferência sobre o processo de formação da sociedade brasileira, considerando a história dos povos originários e a imigração dos diferentes povos que vieram para o nosso país desde o período colonial até os dias atuais;
  • promover a conscientização sobre a escravização do povo africano, levando em consideração os modos pelos quais esse povo foi obrigado a migrar para o Brasil, a resistência dos escravizados e a criação dos quilombos; e
  • possibilitar o processo criativo e artístico por meio da expressão corporal.
HABILIDADES
4º ano - Anos Iniciais - Compreender as causas e consequências, para as relações sociais na Cidade do Rio de Janeiro, dos deslocamentos e migrações, a partir das narrativas locais, buscando valorizar as multiplas culturas.
4º ano - Anos Iniciais - Identificar a existência de migrantes de diferentes origens e nacionalidades no bairro onde mora ou na cidade, destacando a importância da integração e valorização das múltiplas culturas.
4º ano - Anos Iniciais - Participar de situações de interação oral com desenvoltura e autonomia.
4º ano - Anos Iniciais - Planejar, individual e coletivamente, a produção de textos escritos tendo como critérios: a finalidade, o gênero e o interlocutor.
4º ano - Anos Iniciais - Produzir, com o suporte do/a Professor/a e de colegas e/ou a partir de modelos, textos escritos e/ou multimodais curtos e simples, observando as características do gênero textual e os mecanismos básicos do sistema linguístico-discursivo.
4º ano - Artes Visuais - Artes Cênicas: Identificar possibilidades cênicas em texto não teatral, em imagens visuais e em composições sonoras. Aplicar tecnologias e/ou recursos digitais nas experimentações cênicas e nos processos de criação artística. Música: Distinguir os elementos constitutivos da música (duração, altura, timbre, intensidade, etc.), presentes em brinquedos cantados e de roda, jogos e brincadeiras musicais, canções e práticas musicais diversas. Distinguir fontes sonoras diversas, como instrumentos musicais, possibilidades do próprio corpo (palmas, voz, percussão corporal, etc.), elementos da natureza e objetos do cotidiano, reconhecendo os elementos constitutivos da música.
4º ano - Artes Visuais - Artes Cênicas: Reconhecer o Teatro e suas relações sócio histórico culturais como patrimônio material e imaterial da humanidade a partir da contextualização. Artes Visuais: Identificar as formas distintas das artes visuais, cultivando a percepção, o imaginário, a capacidade de simbolizar e o repertório imagético; Debater sobre a obra e a vida de diferentes autores para alcançar sentidos plurais; analisar os elementos constitutivos das artes visuais; reconhecer algumas categorias do sistema das artes visuais.
PERÍODO DE REALIZAÇÃO
Agosto/2022 até Outubro/2022

A partir do projeto Rio de Leitores, a obra Alafiá, a princesa guerreira, da professora Sinara Rúbia, foi indicada para a apreciação das turmas de 4º ano. Após conhecer a narrativa do livro, a turma 1404 sentiu-se envolvida com a história da princesa do Reino do Daomé (atual estado de Benim, na África), que foi levada para uma terra distante e, escravizada, fugiu para um quilombo onde resistiu e lutou pela liberdade do seu povo.

O interesse das crianças também foi motivado pela temática dos diálogos desenvolvidos nas aulas de História e Geografia, que abordaram o processo de formação da sociedade brasileira, considerando a história dos povos originários e a imigração dos diferentes povos para o nosso país desde o período colonial.

A história da Alafiá permitiu que as crianças inferissem sobre a escravização dos povos africanos (considerando como foram obrigados a migrar para o Brasil), a resistência dos escravizados e a criação dos quilombos.

Considerando o interesse das crianças pela temática do livro, propus uma pesquisa, para ser feita em casa, sobre as vivências das mulheres africanas, rainhas e princesas, que foram escravizadas no período colonial.

A partir da pesquisa, as crianças encontraram histórias de mulheres pretas que lutaram pela liberdade do seu povo, como Amina de Zazau, Aina, rebatizada como Sara Forbes Bonetta, Nzinga Mbandi, Aqualtune e Sara Culberson – personalidades históricas incríveis de que pouco ouvimos falar nos livros didáticos.

Após as explanações das crianças sobre suas pesquisas, sugeri que fizessem ilustrações e registros escritos sobre essas personalidades para expor nos corredores da escola e compartilhar a pesquisa com a comunidade escolar.

Dando sequência à temática desenvolvida e considerando o interesse da turma por interpretar personagens de contos de fadas durante os momentos de brincadeiras, sugeri que as crianças preparassem uma apresentação teatral para a comunidade escolar.

A turma conseguiu assimilar em cada etapa do projeto como se constituiu parte da história da sociedade brasileira, o que possibilitou diálogos sobre racismo e os motivos que até hoje resultam em preconceitos contra a população afrodescendente.

Após a apresentação, a turma pediu que outros conteúdos abordados também fossem apresentados de forma teatral. Portanto, esse espaço suficientemente bom (Winnicott) possibilitou que as crianças desenvolvessem também suas habilidades socioemocionais, considerando que em todas as etapas foi necessário que cada aluno buscasse o reconhecimento da comunidade escolar em relação ao trabalho desenvolvido pela turma.

Registros
IMAGENS
Apresentação teatral da narrativa do livro "Alafiá a princesa guerreira".
PDFs
Envie sua mensagem
E aí, professor(a)?

Gostou dessa ação, tem alguma sugestão ou quer tirar alguma dúvida com este(a) professor(a)? Mande uma mensagem para ele(a) aqui. As Cartografias também consistem neste espaço de trocas e compartilhamentos do que se produz na Rede Municipal de Educação carioca.