ACESSIBILIDADE
Acessibilidade: Aumentar Fonte
Acessibilidade: Tamanho Padrão de Fonte
Acessibilidade: Diminuir Fonte
Youtube
Facebook
Instagram
Twitter
Ícone do Tik Tok
Minha MultiRio
Professor, conheça a nova área do Portal MultiRio exclusiva para você!
Juro Que Vi
Cinco desenhos animados realizados em colaboração com alunos da Rede Municipal do Rio sobre lendas e mitos brasileiros, narrados por grandes atores nacionais.            
Cartografias de Boas Práticas da Rede
Em um mapa digital interativo da cidade do Rio, a plataforma Cartografias de Boas Práticas da Rede destaca experiências exitosas das escolas públicas cariocas e busca promover uma rede de compartilhamento e trocas entre as unidades escolares, incentivando que boas práticas sejam conhecidas e apropriadas por outros educadores. 
Morde a Língua
Série de Língua Portuguesa dirigida a alunos do 6º ao 9º ano. No formato dramaturgia e inspirada na linguagem dos vlogs, aborda temas como: linguagem e identidade, variações linguísticas, intertextualidade, estratégias de leitura, poemas, contos, crônicas, histórias em quadrinhos, romances e a multiplicidade de gêneros em jornais e revistas.
Uma Obra, Seu Autor
A série apresenta grandes sucessos da literatura brasileira e universal para crianças e jovens.              
Que Medo!
Por meio de desenhos animados, aborda diferentes faces do medo infantil, contribuindo para seu entendimento e desmistificação.
Material Rioeduca 2024
Acesse os conteúdos do Material Rioeduca.   
História do Brasil
Com os módulos Rio de Janeiro – História da Cidade, América Portuguesa e Brasil Monárquico, o site História do Brasil conta com um rico conteúdo curricular. Oferece também uma coleção de imagens históricas, com reproduções de telas, representações cartográficas e fotos de documentos. Além disso, ao longo dos textos, palavras e termos destacados trazem links com informações e explicações complementares.                                      
Personagens Rioeduca - Paper Toy
Acesse e faça o download dos personagens do Material Rioeduca em versão paper toy para imprimir, recortar e montar. 
E Agora? - Um Rolé Digital
O projeto E Agora? Um Rolé Digital reúne narrativas digitais interativas que tratam de temas relacionados à proteção de dados pessoais, privacidade, cyberbullying, fraude digital e golpes.  A iniciativa é uma parceria da Secretaria Municipal de Integridade, Transparência e Proteção de Dados (SMIT) com a Secretaria Municipal de Educação (SME) e a MultiRio.
Digitalmente
Com duas temporadas e um e-book, a ideia da série Digitalmente é contribuir para a qualificação da ação docente, favorecendo o desenvolvimento de práticas inovadoras em cultura digital na Rede Municipal de Ensino do Rio, contribuindo para que as escolas se constituam como polos de reflexão e de ações transformadoras, que propiciem à comunidade escolar o acesso e apropriação crítica de conteúdos e experiências como fator de inserção social e exercício da cidadania global.
Andar no G20
Acompanhe a trajetória dos alunos da ANDAR no G20 durante todo o ano de 2024!
XII Semana de Alfabetização e I Semana de Anos Iniciais
A XII Semana de Alfabetização e a I Semana de Anos Iniciais da Secretaria Municipal do Rio de Janeiro é uma ação promovida pela Gerência de Alfabetização e Anos Iniciais, da Coordenadoria de Ensino Fundamental, em parceria com o Instituto Helena Antipoff, com a Escola de Formação Paulo Freire, com a Gerência de Educação de Jovens e Adultos e com a MultiRio.
2º Fórum de Prevenção às Violências na Escola (2024)
O FPVE tem como objetivo principal promover ampla discussão na Rede Municipal de Ensino do Rio a respeito das relações entre estudantes e entre profissionais e estudantes.
Jornada de Planejamento, Formação Pedagógica e Centro de Estudos 2024
Nos dias 1º e 2 de fevereiro, acontece Jornada de Planejamento, Formação Pedagógica e Centro de Estudos 2024 em todas as unidades escolares da Rede Municipal de Ensino do Rio.
#educa
Especialistas de diversas áreas e formadores de opinião conversam sobre temas que impactam a vida na cidade.            
Projeto Desenvolvimento da Cultura Digital na Rede
O Projeto Desenvolvimento da Cultura Digital na Rede reúne um conjunto de ações que buscam promover o desenvolvimento das competências nesse campo entre estudantes e professores das escolas cariocas.  
Meias Aventuras
Respeitável público, a MultiRio apresenta o Meias Aventuras, um projeto multiplataforma, divertido e super interativo para estimular ainda mais a criatividade das crianças.  
A Escola na Cultura Digital
Formação promovida pela MultiRio em parceria com a Escola de Formação Paulo Freire da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro através da plataforma EaD (Ensino a Distância) da EPF. 
Andar - Agência de Notícias dos Alunos da Rede
Projeto de trocas e de colaboração em torno da produção estudantil de notícias, reconhecendo e desenvolvendo iniciativas existentes na Rede Municipal e estimulando novas práticas.
MultiClube
Com diferentes seções voltadas a diversas faixas etárias, o MultiClube oferece conteúdos para crianças e jovens. Para cada uma das faixas – que estão divididas em 3 a 5, 6 a 8, 9 a 11 e 12 a 15 anos –, há materiais selecionados de acordo com as características de cada grupo.  
Impressões Digitais
Impressões Digitais - Autoavaliação da Cultura Digital na Rede - é um instrumento que busca fazer um retrato do tema na Rede Municipal para apoiar a política pública educacional, subsidiando o planejamento, o acompanhamento e a análise das ações a serem realizadas neste campo.

Leopoldina, a mentora da Independência do Brasil 
12 Agosto 2022 | Por Pedro Soares
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp
Retrato de Joana Angélica feito pelo artista Domenico Failutti e pertencente ao Museu Paulista da USP - Museu do Ipiranga
Retrato de D. Leopoldina. Óleo sobre tela: Joseph Kreutzinger / Palácio Schönbrunn / Domínio Público

Neste Bicentenário da Independência, uma personagem histórica merece ser lembrada por seu papel fundamental no processo de emancipação política do país das amarras coloniais de Portugal e na constituição de um novo império. D. Maria Leopoldina, a imperatriz do Brasil, é reconhecida como coautora da Independência,  uma mulher com liderança de estadista.

Muitos foram os seus legados. Com Leopoldina, veio ao Brasil a primeira missão de artistas e cientistas, formada por naturalistas, desenhistas e pintores, iniciando por aqui os estudos e a divulgação das ciências naturais. Enquanto imperatriz, procurou formas de acabar com o trabalho escravo e, propagando uma boa imagem do país no exterior, incentivou a imigração de mão-de-obra europeia. Na bandeira brasileira, a cor amarela representa sua origem, a Casa dos Habsburgo.

Origem austríaca 

Nascida em 1797 na cidade de Viena, centro do império austríaco , Maria Leopoldina Carolina Josefa de Habsburgo-Lorena era filha do imperador Francisco I e sua esposa, Maria Teresa, do Reino das Duas Sicílias. Era uma adolescente educada conforme os princípios reais, poliglota, com conhecimento sobre culturas do mundo. Tocava piano (era amiga do compositor Schubert), amava as ciências naturais, e escrevia cartas sobre muitos assuntos. Inteligente e culta, Leopoldina deveria ser uma perfeita conselheira a qualquer soberano afim de estabelecer laços com o império austríaco. 

D. Pedro recebe Leopoldina. Autor: Jean Baptiste-Debret. Museu Imperial/IBRAM. Wikimedia Commons
D. Pedro recebe Leopoldina. Autor: Jean Baptiste-Debret. Museu Imperial/IBRAM. Wikimedia Commons

O casamento entre D. Maria Leopoldina e D. Pedro de Alcântara ocorreu por procuração, em 13 de maio de 1817, quando o Rio de Janeiro ainda era o centro político do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. O primeiro encontro do casal ocorreu cinco meses após, com grande pompa real, em terras brasileiras. 

A estadista da Independência  

A Revolução do Porto em 1820 obrigou a volta de D. João VI para Portugal, e D. Pedro ficou no Brasil como príncipe-regente. Diante da turbulência política, ele dividia suas dúvidas com Leopoldina, que passou a ser presente no dia a dia político do marido, muitas vezes substituindo-o nas decisões da Corte. 

Despachos de Portugal, que chegaram ao Rio de Janeiro no final de 1821, exigiam o retorno de D. Pedro para Lisboa. Enquanto o príncipe preocupava-se com a herança do trono, D. Leopoldina percebia que Portugal estava perdendo sua colônia. Ela então arquitetou contatos com os patriotas brasileiros que conspiravam pela independência.

Sob pressão, e convencido por D. Leopoldina de que sua partida provocaria a fragmentação do Brasil, D. Pedro decidiu permanecer, rejeitando a convocação de Portugal, o que ficou conhecido como “Dia do Fico”.

A colônia, contudo, ainda estava prestes a ruir, e a Bahia já tinha declarado independência de Portugal. Impelido a se deslocar para São Paulo para conter problemas políticos naquela província, D. Pedro deixou a regência interina a cargo de D. Leopoldina. Em 2 de setembro de 1822, ela presidiu o Conselho de Estado do Brasil, que decidiu pela recomendação de se proclamar a independência.

D. Leopoldina como regente. Autora: Georgina de Albuquerque. Museu Histórico Nacional. Domínio Público
D. Leopoldina como regente da Independência. Autora: Georgina de Albuquerque. Museu Histórico Nacional. Domínio Público

Duas cartas foram imediatamente escritas para D. Pedro: uma por José Bonifácio de Andrade e Silva e outra por Leopoldina, reforçando a decisão do Conselho. As mensagens chegaram ao príncipe no dia 7 de setembro de 1822, às margens do Rio Ipiranga.

Apesar do intenso capítulo da Independência, o reinado de Maria Leopoldina foi curto, de apenas quatro anos. A imperatriz sofria humilhações públicas do marido, sobretudo pela notória traição com Domitila de Castro Canto e Melo, a Marquesa de Santos. D. Leopoldina faleceu em dezembro de 1826, deixando sete filhos, entre os quais dois monarcas, Maria II, de Portugal, e D. Pedro II, do Brasil.  

Fontes:

REZZUTTI, Paulo. D. Leopoldina : a história não contada : a mulher que arquitetou a Independência do Brasil / Paulo Rezzutti ; A primeira imperatriz do Novo Mundo por Viviane Tessitore ; Frühbeck e a redescoberta do Brasil por Claudia Witte. – Rio de Janeiro : LeYa, 2017.

VAINFAS, Ronaldo. Dicionário do Brasil Imperial (1822-1889). Editora Objetiva. 2009

 
Compartilhar pelo Facebook Compartilhar pelo Twitter Compartilhar pelo Whatsapp