16 Março 2016
0
0
0
s2sdefault
 

ggj16stickerDiversão, criatividade e muita adrenalina

O que é o Global Game Jam? Para melhor entender, é interessante falarmos primeiro sobre o que é uma jam. Em música, uma sessão de jam é um encontro de músicos que tocam de improviso, sendo muito comum no jazz e no rock, por exemplo. Há relatos dessas jams desde a década de 1920.

Em se tratando de desenvolvimento de softwares em geral, temos encontros nos quais programadores e designers se reúnem para criar um aplicativo, em um tempo curto. Esses encontros são popularmente conhecidos como hackatons. O primeiro desses aconteceu em junho de 1999, nos Estados Unidos. Reparem no nome, derivado de maratona, mostrando sua característica competitiva.

Trazendo essas atividades para a criação de jogos especificamente, surgiram as game jams: encontros onde o objetivo é se produzir um jogo, eletrônico ou analógico, mas não com uma característica competitiva, e sim colaborativa.

Existem game jams que se dão on-line, com os participantes em suas casas, como é o Ludum Dare, e game jams presenciais, onde esses se reúnem em confraternização.

Dessas game jams presenciais, a maior do mundo é a Global Game Jam, criada originalmente pela IGDA (International Game Developers Association) em 2009, e ocorrendo anualmente desde então em diversas cidades.

O que acontece em uma Global Game Jam? Qual o objetivo?

Resumidamente, os entusiastas se encontram nas sedes estabelecidas em sua cidade em uma sexta-feira, momento no qual recebem instruções e um tema surpresa, sobre o qual eles têm 48 horas seguidas, ou seja, até domingo, para produzir um jogo.

Ressalta-se que é um evento lúdico, que requer e desenvolve trabalho em equipe, organização e criatividade. O objetivo é participar da criação e aprender fazendo, estimulando a comunidade e o ciclo produtivo. Já que os jogos são criados por pequenas equipes e muito rapidamente, costuma haver inovações.

Quando e onde acontece?

A tradição diz que a Global Game Jam acontece sempre no último final de semana totalmente contido em Janeiro. Em 2016, essa data foi entre a sexta-feira dia 29 de Janeiro e o domingo dia 31 de Janeiro. 

Vários locais podem se registrar como sedes, até mesmo em uma única cidade. As inscrições para isso costumam abrir em Outubro e dependem de aprovação. Normalmente escolas são as naturais candidatas à sede, mas temos casos de estúdios de produção, grandes ou pequenos, e até casas, raramente.

Em 2016, na cidade do Rio de Janeiro, tivemos como sedes a PUC-Rio, o colégio Nave/CEJLL, a escola RedZero e o estúdio Harmonia Game Studio.

Quem pode participar? É necessário conhecimento prévio?

Qualquer interessado é bem-vindo, não é necessária alguma habilidade específica prévia. Mas cada sede pode colocar restrições próprias de participantes e tecnologias disponíveis.

Sobre os conhecimentos necessários para se criar um jogo digital, no geral, sabemos que podem ser:

-Programação: o programador é quem produz os códigos que fazem o jogo funcionar no computador;
-Artes gráficas 2D ou 3D: o artista, conforme sua especialidade, faz os conceitos visuais, o desenho finalizado, a modelagem, texturização e animação;
-Sonorização: parte importante dos jogos, os músicos criam trilhas e efeitos sonoros para a ambientação;
-Roteiro: muitos jogos com mecânicas mais simples podem não depender de uma narrativa, mas ela sempre acrescenta um nível extra de profundidade; 

Mas nem todo jogo feito na global game jam precisa ser digital, existem muitos casos de jogos clássicos, tabuleiros, cartas, dados...

Como foi o resumo do evento no Rio de Janeiro em 2016?

Em toda a cidade, com suas quatro sedes, participaram cerca de 200 pessoas, (100 na RedZero, 50 no Nave/CEJLL, 40 na PUC, 10 na Harmonia Game Studio), e 28 jogos foram cadastrados no site oficial do evento (14 na RedZero, 8 no Nave/CEJLL, 3 na PUC-Rio e 3 na Harmonia Game Studio).

Em cada equipe havia uma média de quatro a seis participantes, com casos extremos de jogos feitos sozinhos, e uma equipe de 15 participantes! A maioria dessas equipes fez seu jogo usando a ferramenta Unity, com as artes sendo feitas com o pacote da Adobe.

Por volta de 20% dos participantes era do sexo feminino, e havia uma divisão aproximada de 50% de programadores e artistas.

Todas essas informações podem ser conferidas no site oficial do evento.

Parte da equipe da MultiRio responsável pela produção dos jogos da empresa esteve presente no evento, sendo o gerente Cleber Tavares Jr. o organizador da sede de RedZero, a maior da cidade. Mais detalhes dessa sede, incluindo registros visuais e o pós-encontro ocorrido, podem ser conferidos no link do Facebook.

O Global Game Jam é um encontro já famoso na área, e cumpre seu papel, conforme descrito, de "num mundo conectado, que as pessoas se reúnam, sejam criativas, troquem experiências e se expressem de várias maneiras usando jogos".

Muitos dos jogos desenvolvidos servem de inspiração ao longo do ano para as equipes, mantendo-as unidas e servindo a várias outras mostras, como o Festival de Jogos Independentes da SBGames ou o BIG Brazilian Indie Games Festival, ou até mesmo viram produtos de mercado, mantendo as novidades constantes.

"Let´s Jam!"

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes