assistindo agora...

Independência

O grito do Ipiranga, símbolo maior da independência brasileira, foi apenas a culminância de um processo iniciado anos antes. E, como não poderia deixar de ser, o Rio de Janeiro, que se tornaria a capital do império, foi palco de muitas etapas desse processo.

Cidade
História
Rio de Janeiro
A história do carnaval
Com origens no Egito Antigo e difundido em diversas partes do mundo, o carnaval encontrou no Rio de Janeiro seu par perfeito: o samba. Do entrudo aos blocos de rua, passando por corsos, ranchos, grandes sociedades e escolas de samba, relembrar a evolução dessa festa popular é relembrar a história da própria cidade.
Cosmopolitismo
O Rio de Janeiro é uma cidade feita pelos cariocas, mas também por brasileiros de todas as regiões e estrangeiros do mundo inteiro. Desde sua fundação, o Rio recebeu pessoas das mais diferentes origens que contribuíram para sua formação e seu pluralismo cultural. Não é por acaso que a cidade é considerada um patrimônio da humanidade.
Fusão da Guanabara
Em 1975, houve a fusão entre os estados da Guanabara, único caso na história do Brasil de uma cidade-estado, e do Rio de Janeiro. Para alguns, essa medida era mais um indício da perda de prestígio do Rio no cenário nacional, iniciada com a transferência da capital federal para Brasília. Para outros, a fusão seria o ponto de partida para uma nova fase de desenvolvimento econômico e social.
Indústria
O posto de sede administrativa ocupado pelo Rio de Janeiro em todas as fases do país fez com que a cidade fosse uma das primeiras no Brasil a contar com instalações industriais. Desde os estaleiros criados ainda no século XVIII, até a construção de refinarias de petróleo, o setor industrial do Rio foi de grande importância para o desenvolvimento nacional.
Getúlio Vargas
O presidente mais popular do Brasil governou o país por duas vezes. Em 1930, por meio de um golpe de Estado, fechando o Congresso, dissolvendo os partidos, impondo a censura e criando tribunais de exceção. Em 1950, chega ao poder por eleição direta, lançando as bases de uma nação industrial e urbana, além de uma legislação trabalhista e previdenciária. 
O Rio de Janeiro de Lima Barreto
No início do século XX, o Brasil e o Rio de Janeiro tiveram em Lima Barreto um de seus principais cronistas. O grande escritor brasileiro, autor de O Triste Fim de Policarpo Quaresma, viveu em um tempo em que muitas mudanças ocorreram na cidade. Em suas crônicas, comentou a Reforma Pereira Passos, a construção do novo porto, o começo da expansão do Rio para a Zona Sul e outras transformações. 
República
Da Ilha Fiscal, local do último baile da monarquia, ao Campo de Santana, cenário da Proclamação da República, o Rio de Janeiro, capital do país até 1960, reúne locais e eventos que moldaram o Brasil.
D. Pedro II
O carioca de São Cristóvão Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádia Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Habsburg e Bragança marcou época. Mais conhecido como D. Pedro II, foi imperador do Brasil durante quase meio século e se destacou como grande incentivador das artes e das ciências no país. Seu legado inclui a criação de instituições que influenciaram para sempre o Rio e o Brasil.
D. João VI
Ao escolher o Rio de Janeiro como a sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, D. João VI foi responsável por algumas das mais importantes transformações ocorridas na cidade. Com isso, deu início ao processo que culminaria com a Independência do brasil, em 1822.
Ficha Técnica

Indicação: escola e sociedade


Formato: entrevistas


Roteiro: Erika Franziska


Direção: Miguel Przewodowski


Pós-produção: Tomil Gonçalves e Ivan Kasahara

Um Rio de Histórias
2018
Cidadania
Cidade
Séries
Episódios selecionados da série Cidade e Educação, exibida entre 1995 e 2000, que relembram momentos importantes da história do Rio de Janeiro e do Brasil
Episódios
A história do carnaval
Com origens no Egito Antigo e difundido em diversas partes do mundo, o carnaval encontrou no Rio de Janeiro seu par perfeito: o samba. Do entrudo aos blocos de rua, passando por corsos, ranchos, grandes sociedades e escolas de samba, relembrar a evolução dessa festa popular é relembrar a história da própria cidade.
Cosmopolitismo
O Rio de Janeiro é uma cidade feita pelos cariocas, mas também por brasileiros de todas as regiões e estrangeiros do mundo inteiro. Desde sua fundação, o Rio recebeu pessoas das mais diferentes origens que contribuíram para sua formação e seu pluralismo cultural. Não é por acaso que a cidade é considerada um patrimônio da humanidade.
Fusão da Guanabara
Em 1975, houve a fusão entre os estados da Guanabara, único caso na história do Brasil de uma cidade-estado, e do Rio de Janeiro. Para alguns, essa medida era mais um indício da perda de prestígio do Rio no cenário nacional, iniciada com a transferência da capital federal para Brasília. Para outros, a fusão seria o ponto de partida para uma nova fase de desenvolvimento econômico e social.
Indústria
O posto de sede administrativa ocupado pelo Rio de Janeiro em todas as fases do país fez com que a cidade fosse uma das primeiras no Brasil a contar com instalações industriais. Desde os estaleiros criados ainda no século XVIII, até a construção de refinarias de petróleo, o setor industrial do Rio foi de grande importância para o desenvolvimento nacional.
Getúlio Vargas
O presidente mais popular do Brasil governou o país por duas vezes. Em 1930, por meio de um golpe de Estado, fechando o Congresso, dissolvendo os partidos, impondo a censura e criando tribunais de exceção. Em 1950, chega ao poder por eleição direta, lançando as bases de uma nação industrial e urbana, além de uma legislação trabalhista e previdenciária. 
O Rio de Janeiro de Lima Barreto
No início do século XX, o Brasil e o Rio de Janeiro tiveram em Lima Barreto um de seus principais cronistas. O grande escritor brasileiro, autor de O Triste Fim de Policarpo Quaresma, viveu em um tempo em que muitas mudanças ocorreram na cidade. Em suas crônicas, comentou a Reforma Pereira Passos, a construção do novo porto, o começo da expansão do Rio para a Zona Sul e outras transformações. 
República
Da Ilha Fiscal, local do último baile da monarquia, ao Campo de Santana, cenário da Proclamação da República, o Rio de Janeiro, capital do país até 1960, reúne locais e eventos que moldaram o Brasil.
D. Pedro II
O carioca de São Cristóvão Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádia Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Habsburg e Bragança marcou época. Mais conhecido como D. Pedro II, foi imperador do Brasil durante quase meio século e se destacou como grande incentivador das artes e das ciências no país. Seu legado inclui a criação de instituições que influenciaram para sempre o Rio e o Brasil.
Independência
O grito do Ipiranga, símbolo maior da independência brasileira, foi apenas a culminância de um processo iniciado anos antes. E, como não poderia deixar de ser, o Rio de Janeiro, que se tornaria a capital do império, foi palco de muitas etapas desse processo.
D. João VI
Ao escolher o Rio de Janeiro como a sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, D. João VI foi responsável por algumas das mais importantes transformações ocorridas na cidade. Com isso, deu início ao processo que culminaria com a Independência do brasil, em 1822.